NOTÍCIAS

Hipertensão Arterial

27 de Abril de 2018
A A A

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), também conhecida como “pressão alta”, é uma doença que afeta os vasos sanguíneos, coração, cérebro, olhos e pode causar disfunção renal. Ocorre quando a aferição da pressão arterial (PA) se mantém constantemente acima de 140/90 mmHg. É uma patologia associada a fatores genéticos e a fatores externos como: tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas, obesidade, estresse, grande consumo de sal, níveis altos de colesterol e sedentarismo.

A prevalência estimada de HAS no Brasil, entre os adultos, é de 32,5%. Registre-se que essa proporção cresce com a idade, chegando a mais de 60% na população idosa. Entre as mulheres, antes da menopausa, a prevalência da HAS é bem menor do que nos homens, o que pode ser invertido na pós-menopausa, sugerindo um efeito protetor do estrogênio. Atualmente, existe um aumento importante na quantidade de crianças e adolescentes hipertensas, como consequência da obesidade e de hábitos da vida contemporânea (sedentarismo e alimentação inadequada). A raça negra é mais propensa a desenvolver hipertensão.

A Hipertensão Arterial cursa, com frequência, de forma assintomática. Seus sintomas costumam aparecer somente quando os níveis pressóricos atingem um patamar mais elevado. Quando isso ocorre, podem surgir sintomas como dor de cabeça, dores no peito, tonturas, zumbidos, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal. Caso evolua sem o devido tratamento, a Hipertensão poderá evoluir com complicações severas, destacando-se o Acidente Vascular Cerebral, Infarto Agudo do Miocárdio e a Insuficiência Renal.

Como na maioria das vezes cursa de forma assintomática, a aferição regular da pressão arterial constitui-se na única maneira de diagnosticar a Hipertensão. Pessoas acima de 20 anos de idade devem aferir a pressão pelo menos uma vez por ano. Quando há casos de hipertensos na família, essa aferição deve ser realizada, no mínimo, duas vezes por ano. Alguns cuidados devem ser tomados ao se aferir a pressão, evitar aferi-la com a bexiga cheia, após ter realizado exercícios físicos a menos de 1 hora, após ingerir café ou fumar a menos de 30 minutos, já que são fatores que podem alterar os níveis da pressão arterial.

A hipertensão arterial sistêmica não tem cura, mas pode ser controlada através de tratamento orientado. Compete ao médico determinar a melhor terapêutica para cada paciente, lembrando que além dos medicamentos disponíveis, é necessário adotar um estilo de vida saudável, manter o peso adequado, mudar hábitos alimentares, não abusar do sal, praticar atividade física regular, aproveitar momentos de lazer, abandonar o fumo, moderar o consumo de bebidas alcóolicas, evitar alimentos gordurosos e controlar o diabetes.